Passatempos:

Archive for Novembro 2010

Fernando Pessoa (1888-1935)


.

Se depois de eu morrer

Se depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia,
Não há nada mais simples
Tem só duas datas — a da minha nascença e a da minha morte.
Entre uma e outra todos os dias são meus.

Sou fácil de definir.
Vi como um danado.
Amei as coisas sem sentimento nenhum.
Nunca tive um desejo que não pudesse realizar, porque nunca ceguei.
Mesmo ouvir nunca foi para mim senão um acompanhamento de ver.
Compreendi que as coisas são reais e todas diferentes umas das outras;
Compreendi isto com os olhos, nunca com o pensamento.
Compreender isto com o pensamento seria achá-las todas iguais.

Um dia deu-me o sono como a qualquer criança.
Fechei os olhos e dormi.
Além disso, fui o único poeta da Natureza.

Fernando Pessoa/Alberto Caeiro; Poemas Inconjuntos; Escrito entre 1913-15; Publicado em Atena nº 5, Fevereiro de 1925.


Fernando António Nogueira Pessoa nasceu em Lisboa a 13 de Junho de 1888, e faleceu na mesma cidade que o viu nascer, aos 47 anos (30 de Novembro de 1935), devido a uma cirrose hepática, foi poeta e escritor português.

É considerado um dos maiores poetas da Língua Portuguesa, e da Literatura Universal, muitas vezes comparado com Luís de Camões. Também escreveu algumas obras em inglês pois desde de muito cedo aprendeu a língua.

Ao longo da vida trabalhou em várias firmas como correspondente comercial. Foi também empresário, editor, crítico literário, activista político, tradutor, jornalista, inventor, publicitário e publicista, ao mesmo tempo que produzia a sua obra literária. Como poeta, desdobrou-se em múltiplas personalidades conhecidas como heterónimos, objecto da maior parte dos estudos sobre a sua vida e a sua obra. Centro irradiador da heteronímia, auto-denominou-se um "drama em gente".

Sua última frase foi escrita em Inglês: "I don't know what tomorrow will bring…" ("Não sei o que o amanhã trará").


Para mim...

Fernando Pessoa faz parte do meu crescimento intelectual e enquanto pessoa, e por isso mesmo é difícil não sentir uma grande proximidade com as suas palavras. Aprecio os poemas que nos deixou, principalmente, os do seu heterónimo Alberto Caeiro, sempre ligado à natureza e à beleza que ela nos transmite, sendo por isso poemas positivos e simples.
Hoje, conta-se o 75º aniversário da sua morte prematura, mas apesar disso é sempre bom lembrar este grande poeta português - Fernando Pessoa.


Fonte:

Compras do mês de Novembro...


.

Este mês as compras foram mais comedidas, até porque se aproxima o Natal e é sempre uma altura de gastos mesmo que as contas já estejam feitas.
Da Nora Roberts já conto com mais 2, e desta vez adiantei-me a comprar o último dela:


E, por fim, veio uma prenda da mana pelo meu aniversário, um livro que acredito ser muito especial:


Dezembro, é um mês ingrato porque gastamos com os outros e para nós sobra muito pouco, e a piorar a situação é muito raro oferecerem-me livros, tirando as pessoas mais chegadas que me compram depois de eu os escolher.
Bom, é esperar para ver os que aparecem como por magia e os que a bolsa permite comprar.

Sexualidades em Portugal - Convite para Lançamento [Bizâncio]


.




O Instituto de Ciências Sociais e a Editorial Bizâncio convidam para a sessão de lançamento do livro Sexualidades em Portugal, de Pedro Moura Ferreira e Manuel Villaverde Cabral (organizadores). A obra será apresentada pelo Dr. Francisco Allen Gomes.

A sessão terá lugar no próximo dia 7 de Dezembro, pelas 18.30 horas, no Auditório Sedas Nunes, do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

Presença - Livro da Semana [29 Nov. - 5 Dez.]


.


Para mais inf.
clique na imagem


P.V.P.: 15,15 € 8,90 €
Colecção:  Grandes Narrativas
Nº na Colecção: 380
Data 1ª Edição: 04/12/2007
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-3863-9
Nº de Páginas: 184





Sinopse:
Ricardo Coração de Leão não é «um romance histórico», como o seu título pode fazer supor: as amigas do herói assim lhe chamavam por gosto e proveito, mas, universitário e jornalista, Ricardo viveu, em Portugal, crises dos anos 60 e 70 e, em França, o Maio de 1968. Depois, entre amores e desamores, incógnita e ocasionalmente cruzados, instalou-se numa quinta que fora dos Templários, a escrever, mais ou menos, a história da família. É o primeiro volume do díptico «Duas Vidas Portuguesas», cujo segundo, intitulado João sem Terra, por compreensível sugestão, põe outro protagonista da mesma geração a emigrar para França, recusando a guerra colonial. Repensando os temas, não será, porém, errado achar que Ricardo Coração de Leão, como João sem Terra, são «romances históricos», por representarem duas vidas portuguesas dos anos 60 a 80, ou mais…

* Para território nacional.

Presença - Um Natal com História


.


Para saber mais sobre as promoções, clique na imagem.

Contraponto - Passatempo “Natal com a Contraponto”


.

Mais um desafio criativo proporcionado pela editora Contraponto, desta vez o que se pretende é uma frase ao estilo do New York Times ou do Publishers Weekly que costumam acompanhar os textos de capa e contracapa dos livros.


Para ver em maior, clique na imagem.


Os autores das duas frases mais criativas e originais receberão um prémio muito especial: dois livros à escolha de entre as novidades da Contraponto lançadas em Outubro e Novembro!
O passatempo termina a 5 de Dezembro.

Por isso, inspire-se e escreva! 

Para saber como participar clique aqui.

As Rãs que Pensavam que eram Peixes - Cristiano Ghibaudo [Opinião]


.


As Rãs que Pensavam que eram Peixes
Como usar os seus talentos para projectar o futuro e desfrutar do presente
de Cristiano Ghibaudo

Edição/reimpressão: Outubro de 2010
Editor: Gestãoplus
Páginas: 136
ISBN: 9789898115553

SinopseNo Charco Tranquilo, tudo é… tranquilo, mas Lara é uma rã em busca de sentido e decide não se limitar, como as outras rãs, a uma vida acomodada. Parte à aventura e descobre que o talento e os sonhos andam de mão em mão.
Clima óptimo, comida abundante, ausência de predadores famintos: o Charco Tranquilo parece ser o sítio ideal para uma rã viver. As rãs deste charco vivem tão bem que chegaram ao ponto de acreditar que são peixes! Mas a jovem Lara não se deixa convencer pela filosofia de «gozar e deixar andar» que prevalece no charco; uma inquietação interior leva-a a questionar o próprio sentido da vida. Decide então fazer algo inédito: abandonar o charco e partir à descoberta do mundo. Assim, inicia uma viagem que a levará ao encontro de amigos, obstáculos, aliados e também inimigos; descobre coisas novas, comete erros e, sobretudo, aprende - a dar saltos cada vez maiores, a ultrapassar as fronteiras das suas limitações e a não renunciar aos sonhos, aconteça o que acontecer.



Ponto de Vista: Fui impulsionada para ler este livro por uma amiga* destas andanças de livros e leituras e, que partilha também comigo o gosto por fábulas e contos infantis, porque podemos já não ser crianças em idade mas permanecermos em espírito permite-nos por momentos viver um mundo colorido onde existe sempre um final feliz e de onde podemos tirar sempre uma lição.

Gostei muito de ler este pequeno livro que me deu a conhecer o Charco Tranquilo e toda a sua comunidade de rãs, insectos, nenúfares e seixos assim como uma rã diferente, Lara, que apostou a sua vida na mudança, a única que nunca quis fazer parte de nenhum grupo e que procurava outro significado para a sua existência que não fosse apenas comer, tagarelar e dormir, como todas as outras companheiras do Charco.

“…no fundo, cada rã tem a sua própria vida nas suas mãos e pode fazer dela o que quiser.”

Com a ajuda de Jerry, um pardal, parte à aventura para descobrir o que está do lado de lá do Charco Tranquilo, e para além de conhecer outros animais e formas de vida, descobre que também ela tem capacidades que até então desconhecia e que lhe permitem ultrapassar obstáculos.

“Sobrestimam o que podem fazer em pouco tempo, mas desvalorizam o que podem fazer a longo prazo.”

Uma história muito bem conseguida complementada por ilustrações cómicas que retratam as várias passagens do livro. Não é um livro infantil, apesar da simplicidade da narrativa, é sim um livro para adultos “ocupados” que não podem despender de muito tempo para a leitura nem para textos demasiado profundos.
As Rãs que Pensavam que eram Peixes está repleto de ensinamentos, que nos fazem ver como é a sociedade actual e o quanto custa sermos diferentes e apostarmos na mudança.

“Uma história que fala ao adulto que procura ou que está em dificuldades, agarrando pela mão a criança que ele foi, e que usa palavras e tons familiares para nos transmitir a certeza de que é possível enfrentar novos desafios e oportunidades, tal como a Lara fez.”
In Posfácio por Silvana Garello

Em estrelas: 4{


Outro Ponto de Vista…

Aqui está uma fábula muito engraçada. Tudo se passa no Charco Tranquilo, que tal como o nome, é mesmo tranquilo. E neste belo lugar cheio de nenúfares e libelinhas vive uma colónia de rãs que passam o seu tempo debaixo de água, a comer, dormitar e não fazer nada. Todas menos uma: a Lara. Lara é uma rã curiosa e cheia de objectivos que um dia parte à aventura. E enquanto ela descobre o mundo para lá do lugar onde mora, a crise instala-se no charco.

Apesar de ser uma fábula, este livro pode ser entendido como uma grande sátira à humanidade e ao mundo em que vivemos.
Existem rãs de todo o tipo, aquelas que não fazem nada, as revolucionárias
,
que temem a mudança e que são contra ela, tal como o ser Humano.
Pode também ser visto como um livro de auto-ajuda, com imensos conselhos para que qualquer pessoa possa "sair do charco" e seguir com coragem e sem medo, um caminho diferente do que está habituado.

Com ilustrações muito engraçadas, este um livro que pode não chamar a atenção à primeira vista, mas é muito engraçado e pode causar surpresas, que nos levam a pensar, a considerar, a aprender e que eu aconselho que leiam.

Para terminar, deixo um dos conselhos da Lara: "Para avançar, é importante saber pensar nos imprevistos e nas dificuldades como oportunidades de crescimento."

…*Verónica Silva, amiga e companheira de leituras (e não só!)



A visitar:

Bertrand - Campanha Banco de Livros


.

Aqui está mais uma boa iniciativa levada a cabo pela Bertrand!


O Banco de Livros é uma iniciativa levada a cabo pelas Livrarias Bertrand em parceria com o Banco de Bens Doados e com a Fundação Pró Dignitate.
O objectivo desta iniciativa é levar a leitura às crianças mais carenciadas, criando assim oportunidades de leitura e contacto com este bem essencial a que muitos não têm acesso. Instituições sociais de norte a sul do país serão as beneficiadas desta acção que acontece agora e pela primeira vez em Portugal. A acção terá lugar de 15 de Novembro a 05 de Dezembro, em todas as livrarias Bertrand do país.

Cada pessoa que se dirigir a uma Livraria Bertrand será convidada a oferecer um livro no âmbito desta campanha. Os livros para oferta serão recolhidos num contentor específico – o Livrão – que se encontra em todas as Livrarias Bertrand, sendo a distribuição pelas instituições apoiadas da responsabilidade do Banco de Bens Doados.

Poderá também adquirir os livros em www.bertrand.pt e doar ao Banco de Livros!


Poderá optar por comprar o Vale Banco de Livros no valor de 2€ em www.bertrand.pt cuja receita reverterá totalmente para uma instituição de caridade. Poderá fazê-lo através de uma compra única do vale de 2€ ou poderá adquiri-lo durante o processo de compra de uma encomenda no carrinho de compras.

Presença - Livro da Semana [22-28 Nov.]


.


Para mais inf.
clique na imagem


P.V.P.: 18,68 € 11,50 €
Colecção:  Grandes Narrativas
Nº na Colecção: 151
Data 1ª Edição: 01/11/2001
Nº de Edição: 27ª
ISBN: 978-972-23-2821-0
Nº de Páginas: 328





Sinopse:
A vida de Miles Ryan poderia ter acabado no dia em que mataram a sua mulher, dois anos antes, num acidente de viação. Sarah Andrews é professora primária, em fuga de um casamento desastroso e de um divórcio problemático. Sentindo que esta poderia ser a última chance de viverem e de serem felizes, Sarah e Miles procuram começar de novo. E pela primeira vez em anos irão novamente rir e amar.

* Para território nacional.

Num Breve Fechar de Olhos - Abbie Taylor [Opinião]


.

Num Breve Fechar de Olhos
Um bebé foi raptado. A polícia não age. Que faria se fosse o seu filho?
de Abbie Taylor

Edição/reimpressão: Outubro de 2010
Páginas: 320
ISBN: 978-972-23-4444-9
Colecção: Grandes Narrativas

SinopseQuando as portas da carruagem do metro se fecharam, separando o pequeno Ritchie, de treze meses, da sua jovem mãe, começava para Emma o pior pesadelo de toda a sua vida - ver o seu bebé ser levado sem conseguir fazer nada para o impedir. E quando tenta convencer a polícia de que Ritchie foi raptado, Emma só encontra incompreensão e suspeita, vendo-se obrigada a encetar uma investigação por conta própria. Romance de estreia da autora, Num Breve Fechar de Olhos oferece-nos uma narrativa de grande intensidade dramática, realismo e suspense.


Ponto de Vista: Num Breve Fechar de Olhos é um daqueles livros que chega ao âmago da nossa alma e que nos prende de imediato logo nas primeiras páginas porque o desespero e angústia de uma mãe sozinha no mundo, que se vê sem o seu bem mais precioso – o filho, é tão grande que também o nosso coração palpita por sermos meros espectadores e nada podermos fazer para a ajudar nesta busca desenfreada contra tudo e todos.

Emma é uma jovem universitária que partilha casa com uma amiga e vive a alegria dos seus 20 anos. Numa saída à noite de amigas conhece um rapaz que a fascina e por quem se apaixona, acabam por ter um curto relacionamento pois a sua antiga namorada volta e ele decide terminar tudo com Emma.

“Não nos esquecemos das pessoas assim do pé para a mão, só porque elas querem que isso aconteça.”

Ela tenta esquecê-lo, mas passados alguns meses percebe que está grávida, e mesmo não tendo apoio de Oliver, nem família a quem recorrer porque já perdera a única que tinha – a mãe, decide avançar com a gravidez porque é tudo o que lhe resta de um amor impossível. E, ainda antes de ter a criança vê-se sozinha e desamparada até pela amiga, acabando por ir viver para uma casa num bairro social dias antes de dar à luz Ritchie. Quando isso acontece, isola-se por completo do mundo e vive apenas para o filho e para as tarefas de casa, esquecendo-se até de si própria.

“Fora tão fácil, mas tão fácil, afastar-se das pessoas que em tempos se havia pensado serem muito importantes. E tão, mas tão difícil substituí-las.”

Um ano passa, e a sua vida tende a piorar pois as preocupações que a assolam são muitas… E é num dia normal de compras que de repente, num breve fechar de olhos, Emma se vê sem o seu filho Ritchie, a partir daqui a sua vida dá uma volta completa e tudo o que ela tinha desaparece como se só para ela alguma vez tivesse existido. Apenas irá haver uma pessoa que vai acreditar nela incondicionalmente, e será a única capaz de trazer Ritchie de volta para os braços da mãe, e essa pessoa é Rafe, a única testemunha de tudo e o verdadeiro herói da história.

“Emma queria falar, mas o que tinha para dizer era demasiado grande, inchava dentro dela, dilatando-se para fora até que os seus seios se tocaram. Eu estou aqui, disse ela, e a mensagem passou directamente do seu coração para o dele. Estamos os dois aqui.”

O final é compensador, e apesar de alguns de nós desejarmos mais para estes três personagens, penso que a autora deixou que cada leitor finaliza-se a história como gostaria.
Não encontramos aqui um romance, mas sim um drama muito intenso em que o sofrimento trespassa por entre as páginas, fazendo-nos pensar constantemente - e se fosse connosco, o que éramos capazes de fazer para recuperar um filho!?

Em estrelas: 4{

[Aparte...] Gosto da capa, está totalmente relacionada com a história e a predominância do verde indica-nos que também aqui a esperança é sempre a última que morre.

Presença - Este Natal é por Nossa Conta!


.

Presença - Novidades da 2ª quinzena de Novembro [2010]


.

Género: Ficção e Literatura
 


Sinopse Quando Katie vai viver para a pacata cidade de Southport, na Carolina do Norte, todos se interrogam sobre o seu passado. Que mistérios esconderá aquela jovem bonita que parece determinada em encobrir os seus encantos e evitar novos relacionamentos? No entanto, e apesar de todas as suas reservas, Katie começa a criar raízes naquela pequena comunidade, à medida que uma nova amizade e um novo amor lhe vão fazendo baixar as defesas. Mas os fantasmas do passado, que minam a sua capacidade de confiar nos outros, continuam a persegui-la, a aterrorizá-la, e o peso do segredo que esconde é demasiado grande… Neste romance avassalador, Nicholas Sparks traz-nos uma protagonista fragilizada que tem de aprender a lidar com as suas sequelas se quiser voltar a amar.
 
Título: Um Refúgio para a Vida
Autor: Nicholas Sparks
Colecção: Grandes Narrativas
ISBN: 978-972-23-4447-0
Preço: 18,50€
Págs.: 360
Género:Romance Romântico








SinopseEste é o relato na primeira pessoa da história de vida de António, um rapaz português que aos nove anos foi levado da Aldeia das Dez, em Oliveira do Hospital, por um homem que se fez passar por seu tio. E assim começou para António o pior dos infernos que uma criança pode ter de suportar - viu-se afastado da família e da vida que até então conhecera e inserido numa rede de pedofilia internacional onde foi abusado sexualmente. Inspirada em casos reais ocorridos no nosso país e pelo mundo, esta obra, pretende combater a ignorância a respeito desta realidade chocante ao revelar-nos os meandros de uma rede de pedofilia internacional e das próprias mentes dos predadores sexuais, e assume-se como um apelo à liberdade destas crianças que cedo se viram obrigadas a deixar de o ser.


Título: Levaram-me
Autor(es): Paulo Pereira Cristóvão e Susana Ferrador
Colecção: Grandes Narrativas
ISBN: 978-972-23-4467-8
Preço: 13,00 €
Págs.: 192
Género:Romance Contemporâneo








Título: O Big Sur e as Laranjas de Jerónimo Bosch
Autor: Henry Miller
Colecção: Obras Literárias Escolhidas
ISBN: 978-972-23-4458-6
Preço: 20,50€
Págs.: 416
Género:Romance Contemporâneo

«Miller arrasou de uma vez por todas as próprias bases da hipocrisia humana - morais, sociais a políticas.» | The Nation





Género: Não Ficção e Ensaio
 
Autor: Fabio Cavalera
Colecção: Sociedade Global
ISBN: 978-972-23-4448-7
Preço: 14,90 €
Págs.: 200
Género:Economia






Género: Infantis - Juvenis




Título: A Família de Nazaré
Autor: Maria Teresa Maia Gonzalez
Colecção: Profissão Adolescente
ISBN: 978-972-23-4468-5
Preço: 8,99€
Págs.: 148
Género:Juvenis







Sinopse Escrito em 1952, A Viagem do Caminheiro da Alvorada é o quinto volume das Crónicas de Nárnia. Neste livro, Lucy e Edmund vão passar umas férias a casa de um primo insuportavelmente ´certinho´. Mas subitamente, enquanto discutem em frente a um quadro da tia Alberta são os três transportados por artes mágicas para Nárnia; mais exactamente para o mar alto, onde reencontram o príncipe Caspian e são recolhidos pelo seu barco: o Caminheiro da Alvorada. Equiparado a J. R. Tolkien e Roald Dahl, C.S. Lewis conta-nos aqui mais uma história magnífica, que a um tempo lembra A História Interminável, de Michael Ende, a Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, e a Odisseia, de Homero. Do primeiro título tem o encanto e a melancolia, do segundo o enredo intrigante, e do terceiro o gozo puro da aventura.


Título: A Viagem do Caminheiro da Alvorada
Autor: C. S. Lewis
Colecção: As Crónicas de Narnia
ISBN: 978-972-23-3132-6
Preço: 8,08€
Págs.: 176
Género:Juvenis









Título: O ResgateAutor: Kathryn Lasky
Colecção: Lenda dos Guardiões
ISBN: 978-972-23-4454-8
Preço: 11,90€
Págs.: 228
Género:Juvenis








Título: Cinco Minutos Antes de Adormecer: As mais belas histórias de todo o mundo para ler à noite
Autor: Geronimo Stilton
Colecção: Diversos
ISBN: 978-972-23-4455-5
Preço: 24,90€
Págs.: 32
Género:Livros Ilustrados










Sinopse Bem-vinda à Academia das Princesas!
É o primeiro dia de aulas e as outras princesas do Clube Tiara mal podem esperar para te conhecer… Descobre tudo sobre a vida na Academia de Princesas e em breve também tu serás uma Princesa Perfeita.
Este livro fabuloso do Clube Tiara está cheio de surpresas e nele vais encontrar as tuas personagens favoritas, da colecção O Clube Tiara.
Perfeito para todas as princesinhas!


Título: O Mundo Mágico do Clube Tiara
Autor: Vivian French
Ilustração: Sarah Gibb
Colecção: Diversos
ISBN: 978-972-23-4361-9
Preço: 12,90€
Págs.: 24
Género:Livros Ilustrados





Sinopse Uma versão nova e original do conto tradicional O Capuchinho Vermelho, com maravilhosas ilustrações em tons de sépia que saltam das páginas!


Título: O Capuchinho Vermelho: Um Livro Pop-Up
Autor: Louise Rowe
Colecção: Diversos
ISBN: 978-972-23-4384-8
Preço: 13,90€
Págs.: 16
Género:Livros Ilustrados





Sinopse Esta é a história dum patinho que era diferente dos irmãos e das irmãs, e dos outros patos que viviam no pátio da criação.


Título: O Patinho Feio - The Ugly Duckling
Autor: Arianna Candell 
Ilustração: Daniel Howarth
Colecção: Contos Bilingues
ISBN: 978-972-23-4132-5
Preço: 5,50 €
Págs.: 24
Género:Livros Ilustrados

Bizâncio - Novidades de Novembro [2010]


.

Sinopse Gostava de ser «à-prova-de-bala» no trabalho e de se sentir seguro nos seus relacionamentos? Gostava de sentir-se satisfeito na sua pele? Então, é fundamental ter a noção do que o seu corpo anda a dizer ao mundo. Com graça e «olho clínico», Janine Driver – que trabalhou com o conceituado psicólogo Paul Eckerman, consultor da série da Fox Lie to Me — ensina-lhe os truques que lhe permitirão estar em vantagem na sua vida diária. O seu «Plano em 7 Dias» e as suas «Soluções em 7 Segundos» ensinar-lhe-ão dezenas de «dicas» de linguagem corporal capazes de resolver a seu favor qualquer situação interpessoal. Este livro revelar-lhe-á também métodos que outros especialistas se recusam a partilhar com o grande público, desmantelando grandes mitos da linguagem corporal. Numa época em que todas as vantagens contam — e as primeiras impressões contam mais do que nunca — este é o livro que realmente o ajudará a transmitir a sua mensagem.

Título: Como Observar as Pessoas: Dizemos mais do que Pensamos
Autor: Janine Driver
Colecção: Pequenos Livros, 53
ISBN: 978-972-53-0466
Preço: 14,15/ 15,00€
Págs.: 340
Género:Auto-ajuda

«Brilhante! As inovadoras ideias deste livro ajudá-lo-ão a melhorar as suas competências de comunicação praticamente da noite para o dia.»
JOHN CHRISTENSEN, co-autor do bestseller Fish! e presidente da ChartHouse Learning, Home of the Fish! Philosophy


 

Sinopse Com 3 crianças em casa, Zoe, Hammie e Wren, não há muitos cantos onde Wanda e Darryl se possam esconder. Ou participam nas brincadeiras dos manos, ou… participam.

Título: Baby Blues 27 - Emboscados na Sala de Estar
Autor(es): Rick Kirkman e Jerry Scott
Colecção: Banda Desenhada, 51
ISBN: 978-972-53-0468-6
Págs.: 132
Preço: 11,90 / 12,61€
Género: Banda Desenhada

Presença - Livro da Semana [15-21 Nov.]


.

Para mais inf.
clique na imagem

P.V.P.: 12,61 € 7,90 €
Colecção:  Grandes Narrativas
Nº na Colecção: 367
Data 1ª Edição: 04/09/2007
Nº de Edição: 23ª
ISBN: 978-972-23-3820-2
Nº de Páginas: 196





Sinopse:
Quem não recorda ainda o dramático caso de Joana Cipriano, a menina de oito anos, que em Setembro de 2004, Portimão, foi dada como desaparecida? Para muitos ela será lembrada como um rosto num jornal ou revista, um pequeno rosto sorridente e alegre de alguém que gostava de viver. Este livro assume-se como uma homenagem à corajosa Joana, prestada por um dos três agentes da Polícia Judiciária – o autor que é simultaneamente uma das personagens – especialmente destacados para ajudar os seus colegas do Algarve no processo de investigação. Relatado com grande vivacidade, ficamos a conhecer a dimensão da força por detrás daquele sorriso de menina. A Estrela de Joana é ainda para o leitor a oportunidade rara de espreitar o que se passa «do lado de dentro» de uma investigação. Além disso dá conta da generosidade e do empenhamento destes polícias que por detrás da aparente rudeza e ironia que marcam os seus laços de companheirismo, revelam a sua profunda humanidade.

* Para território nacional.

Levaram-me - Convite para Lançamento [Presença]


.

Horizontes em Branco - José Maria Abecasis Soares [Opinião]


.


“Íamos entrar na etapa em branco desta viagem. Em branco não só porque a neve e o gelo cobriam tudo o que a vista alcançava à nossa volta, mas em branco também por ainda não estar escrita.”


Horizontes em Branco
Uma viagem pelo mundo na senda dos efeitos do aquecimento global
de José Maria Abecasis Soares

Edição/reimpressão: Novembro de 2010
Páginas: 212
ISBN: 978-972-23-4457-9
Colecção: Volta ao Mundo

SinopseJosé Maria Abecasis Soares fundou a Associação Ice Care em 2009, um projecto pessoal que, definiu em torno de dois objectivos principais: dar visibilidade mediática às consequências do aquecimento global sobre o degelo dos glaciares, através de expedições aos cinco glaciares classificados como património mundial e que a Unesco identificou como os mais severamente afectados pelas alterações climáticas; uma outra vertente do projecto prende-se com as populações locais, que carecem de apoio e de preparação para minimizar o impacto do recuo dos gelos. O autor deixa-nos ainda as suas impressões sobre as duas primeiras expedições realizadas em 2009, ao Aletsch, nos Alpes suíços e, nesse mesmo ano, ao Quilimanjaro.

Ponto de Vista: Este é um daqueles livros que nós lemos como se estivéssemos a conversar com um amigo.
O que é retratado não é uma história, é um diário de viagem, com a única diferença de que aqui encontramos uma viagem com um objectivo nobre e louvável.

“Nós, os povos civilizados, estamos protegidos deste tipo de catástrofes no conforto dos nossos lares e esquecemo-nos com facilidade que vivemos no vértice da vida, que a qualquer momento tudo o que tomámos por adquirido pode mudar”.

José Maria, neste seu primeiro livro, fala de si, da sua vida e de um projecto que achou, por vários momentos, não ter pernas para andar, falo da Associação Ice Care.
Tudo começou com um despertar de consciência, que pode surgir em qualquer momento da nossa vida, e nos pode fazer arregaçar as mangas e lutar por aquilo que achamos certo, independentemente das opiniões de cada um.

“A razão que me fez conceber e estruturar o Ice Care foi exactamente o carácter solidário do projecto. Exaustão física sim, mas por uma causa. Sangue, suor e lágrimas, de acordo, mas em prol de algo em que acredito. ”

O autor lançou-se numa aventura de vida, que para muitos não passa de loucura e para outros um acto de grande coragem, para mostrar que aquilo que temos hoje podemos perder a qualquer momento por puro egoísmo, tentando desta forma mudar consciências e poder orgulhar-se de deixar algo de bom aos outros, traçando como objectivo principal chegar ao topo dos cinco glaciares classificados como Património Mundial pela Unesco: Jungfrau-Aletsch na Suíça, Quilimanjaro na Tanzânia, Huascarán no Peru, Ilulissat na Gronelândia e o Sagarmatha no Nepal.

“Seis biliões de pequenas criaturinhas como eu podem fazer muito bem ou muito mal ao planeta, desde que o façam em conjunto.”

Neste livro, apenas encontramos o relato das expedições aos dois primeiros glaciares, e percebemos que existe uma grande diferença entre as condições humanas e de cultura, pois Jungfrau-Aletsch encontra-se na Europa e Quilimanjaro no continente africano. E, sem dúvida, é na Tanzânia que se sente com mais intensidade os efeitos do aquecimento global, que são bem comprovados através das fotografias que encontramos em Horizontes em Branco.
A seca extrema em contraste com um glaciar no meio de África, a diferença de mentalidades, hábitos e perspectivas de vida daquele povo (Masai), mostra-nos que às vezes, a “educação” e a visão de um mundo cheio de oportunidades não é tudo, porque no meio da pobreza as pessoas também encontram o seu equilíbrio com a ajuda da natureza, se ela estiver sã.

“…em conversa com um masai, perguntou se ele sabia o que era aquilo branco no cimo da montanha. O homem respondeu-lhe que (…) era sabão e que aumentava quando chovia, porque fazia espuma.”

Foram várias as situações em que José Maria Abecasis Soares e os seus amigos e companheiros de viagem se viram envolvidos e foram muitas as dúvidas que assombraram a todos, mas apesar de tudo isso, conseguiram cumprir parte daquilo a que se propuseram com muito mérito e sem deixar margem para dúvidas de que a Associação Ice Care é forte e coesa. 

Para mim, estas questões ambientais são muito delicadas e também passa por ser um assunto que não domino, mas do meu ponto de vista leigo, entendo que o Mundo sempre passou por transformações (violentas), e nem todas elas foram criadas pelo Homem, não sei se ainda iremos a tempo de alterar alguma coisa, e mesmo que isso seja possível, não é uma pessoa “sozinha” que consegue fazer algo para o bem de todos, nestas questões e em muitas outras o exemplo tem de vir de cima porque se assim não for, a única coisa que conseguiremos é “cair” mais cedo.
Resumidamente, Horizontes em Branco é um livro para abertura de mentalidades e despertar consciências.

Em estrelas: 4{
Para saber mais sobre este projecto:

Presença - Livro da Semana [08-14 Nov.]


.

Para mais inf.
clique na imagem

P.V.P.: 30,28 € 18,90 €
Colecção:  Sociedade Global
Nº na Colecção: 20
Data 1ª Edição: 18/09/2007
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-3829-5
Nº de Páginas: 604



Sinopse:
Tendo já sido aclamada como o «legado pessoal e intelectual de Alan Greenspan», A Era da Turbulência é a autobiografia de um homem cujo percurso de vida lhe concedeu um acesso privilegiado a tudo o que de melhor foi dito e pensado acerca de um vasto número de questões fundamentais ao longo de várias décadas. Munido das suas memórias e de um incisivo espírito de observação, com este livro o autor contribui para a compreensão das dinâmicas subjacentes aos grandes acontecimentos mundiais, fazendo-nos ainda uma visita guiada ao futuro da economia global. O testemunho de um dos maiores pensadores do nosso tempo, que será publicado em mais de quinze países.

* Para território nacional.

O Toque da Morte - Stephen Booth [Opinião]


.


O Toque da Morte
de Stephen Booth

Edição/reimpressão: Agosto de 2010
Páginas: 356
ISBN: 9789721061170
Colecção: Crime Perfeito

SinopseNuma charneca do Derbyshire assolada pela chuva, os cães de um grupo de caçadores encontram o cadáver de um homem bem vestido, cujo crânio fora esmagado. Chamados a investigar a descoberta, os detectives Diane Fry e Ben Cooper envolvem-se no submundo da caça e daqueles que a detestam, do roubo de cavalos e de um sector pouco conhecido do comércio de carne.
À medida que Fry segue um trilho complexo para desvendar os interesses duvidosos da vítima, Cooper apercebe-se de que a explicação do caso pode estar enterrada no passado.
Mas, quando a última pista é revelada, Fry e Cooper vêem-se obrigados a encarar a realidade perturbadora de um passado bem mais recente.



Ponto de Vista: Quando li a sinopse deste livro senti que entre mim e a história havia demasiados pontos em comum para eu o ignorar, mas pensei que a oportunidade de o ler não iria surgir, felizmente isso foi possível e espero conseguir dizer em palavras o que esta história me transmitiu.

O autor, que para mim foi uma agradável descoberta, escreve de uma forma tão sincera e realista que consegue chegar às nossas emoções e aos nossos pensamentos.
E a história, não é apenas sobre um homicídio, é também sobre valores, sobre animais e pessoas, sobre dedicação ao trabalho e ao que gostamos de fazer.
Senti uma grande proximidade em relação a algumas personagens, e consegui viver um pouco das suas dúvidas e certezas porque o autor soube como fazê-lo.

"Ut umbra sic vita. «Tal como a sombra passa, o mesmo acontece com a vida.»"

Neste policial, encontramos dois detectives diferentes do habitual, já que por norma é sempre um homem que se destaca como o forte e corajoso que comanda todas as operações, mas aqui temos uma Diane Fry transferida para Derbyshire (onde se passa a acção) devido a uma situação que ocorreu num passado ainda recente na sua memória, e que fica responsável por uma equipa que inclui Ben Cooper, um filho de polícia que sempre viveu no campo e que espera por uma promoção. E a diferença que existe, é que Fry é uma mulher habituada a viver sozinha e acha que nunca irá precisar de ninguém porque é forte o suficiente para ultrapassar qualquer obstáculo, enquanto Cooper é um homem de família, companheiro e sensível ao que o rodeia.
E tudo começa com a morte de Patrick Rawson num local ermo onde só existem ovelhas e caçadores de raposas, as únicas testemunhas e os possíveis culpados do homicídio.  
Pelo meio, o autor dá-nos algumas páginas de um diário que remete para o ano de 1968, década em que o Mundo se alterou de alguma forma pois vivia-se na iminência da 3ª Guerra Mundial e as bombas nucleares ameaçavam sentir-se a qualquer momento. Percebe-se, no final, que isso irá ter influência em mais uma morte, neste caso de Michael Clay.

"É estranho como os problemas parecem acumular-se na vida à medida que se envelhece."

Na procura por um culpado, Fry e Cooper mostram-nos as tradições da caça à raposa, e consequentemente, as lutas travadas pelos defensores dos direitos dos animais, que também se manifestam contra o abate de cavalos para consumo humano, negócio em que a vítima Patrick Rawson estava envolvida. Levantam-se questões como burlas e falsificação de documentos, roubo de cavalos para abate e outras situações pouco legais.   

"Apesar de as montarias estarem frequentemente associadas a privilégios de classe e hierarquias sociais, havia uma violência indefinida no âmago do desporto que o transformava numa espécie de ritual sangrento."

Percebe-se, por fim, que a ambição, a desconfiança e a vingança podem transformar qualquer pessoa e levá-la a cometer aquilo que achamos nunca sermos capazes de cometer: um homicídio.

Sinceramente, sei que não é fácil aceitar as motivações da caça, seja ela a que tipo de animal for, nem com a descrição do abate de animais, mesmo que isso seja uma necessidade para nós, e nem com a escolha de um animal de companhia num refúgio, porque o apelo de um animal abandonado é tão intenso e perturbador, que me choca a frieza com que a maioria das pessoas lida com isso.

"Todos eles eram animais que tinham sido abandonados e, de alguma forma, maltratados. Todos eles mereciam um bom lar."

E acho que esta história só nos consegue tocar se tivermos alguma noção e sensibilidade em relação a estes assuntos, de outra forma, não será a melhor escolha porque é preciso acima de tudo sentir antes de perceber.

"O que se desconhece não faz sofrer."

Em estrelas: 4{

[Aparte...]Só tenho um defeito a apontar, que se prende com o facto de encontrar muitos erros e palavras deslocadas da frase, e tendo em conta o preço do livro acho que não deveria haver um único ponto negativo a apontar.

Resultado do 2º Passatempo – O Jogador de Râguebi


.


Hoje é um dia particularmente especial para mim, não só pela data mas porque tenho a oportunidade de contemplar três pessoas com um livro, gentilmente cedido pela Editorial Bizâncio.
Desta vez, o sorteio correu sem percalços, apenas o número de participações ficou um pouco aquém das minhas expectativas (161), mas pude constatar com grande surpresa (e satisfação) que o número de participações masculinas foi em grande número!

Agora, vamos então aos resultados:

Questão: O que conhece António quando chega a Glee Hill?
1ª opção = ...o abandono e a rejeição    (1 resposta errada)

Questão: Durante aquele ano de exílio, vive...
3ª opção = ...a solidão e a ruptura das relações familiares     (0 respostas erradas)

Questão: Qual é o talento de António?
2ª opção = O râguebi    (1 resposta errada)


Depois de tudo conferido, os vencedores são:

    » 46 = Ana Luisa Rodrigues Carvalho - Amarante
    » 49 = Maria Odete Sanches - Setúbal
    » 60 = Luís Filipe Esteves - Palmela


Parabéns aos felizes contemplados! Espero que O Jogador de Râguebi vos traga agradáveis momentos de leitura, e aguardo um feedback da vossa parte.
Para os que não venceram, agradeço pela participação e não deixem de o fazer, porque para além de valorizam o meu trabalho, um dia, pode ser a vossa vez!...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ouvindo...

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.5 Generic License