Passatempos:

Archive for Maio 2010

Compras do mês de Maio...


.


A Dama Negra
de Nora Roberts

Chancela: Chá das Cinco / 2007
ISBN: 9789898032188
Formato: Capa mole
Dimensões: 16 x 23
Núm. páginas: 416
Géneros:
Literatura Romântica


A Dama Negra de Nora Roberts foi a última aquisição. Já tinha pensado em comprar na Editora, uma vez que os portes de envio são grátis – o que é de louvar, mas optei por comprar no Continente (passo a publicidade) porque o preço era o mesmo e assim não andava a sofrer danos de envio.
Comecei a ler este livro há relativamente pouco tempo, através do excerto disponível no site da Editora, e de alguma forma cativou-me, talvez pela mulher ter um papel tão importante na trama (e eu me considerar feminista ) e também por ter curiosidade em ler alguma coisa da Nora Roberts. Aderi também ao Clube Nora Roberts e na sugestão que pedi para 1º livro a ler dela, as opiniões foram unânimes – A Dama Negra.
Vamos ver se vou ficar fã desta autora, espero que pelo menos o livro valha os euros gastos!... Depois quando terminar a leitura deixo aqui o meu “Ponto de Vista” e espero que mais se juntem ao meu…






333
de Pedro Sena-Lino
Um livro pode mesmo mudar a sua vida para sempre.

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 184
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04274-3
Colecção: MARCA D'ÁGUA



Outra aquisição que fiz este mês foi o 333 de Pedro Sena-Lino. Na altura em que ele saiu (Junho de 2009, se não estou em erro) a capa chamou-me a atenção, porque acho que muitos de nós às vezes nos guiamos um pouco pela “cara” do livro, o que por vezes se mostra também um grande erro, mas eu não consigo evitar!...
Bom, na altura, não me recorda ao certo o motivo que me levou a não o comprar, já que a história puxava por mim, livros antigos, codicologia e afins são temas que fazem parte da minha vida profissional e por isso e mais um pouco me atraem, então o bichinho ficou… Depois, nestas minhas andanças por blogs de literaturas vi alguns comentários bastantes positivos sobre o livro e pensei agora que ando mais disposta às leituras que estava em boa hora de o adquirir, o problema foi mesmo esse, onde adquiri-lo já que não se via em lado nenhum!... Acabei por o comprar na Fnac (passando mais uma vez a publicidade) já que no Wook/Porto Editora com os portes de envio (que na minha opinião são um pouco elevados) acabava por ficar mais caro, por isso no post anterior achei que devia enaltecer a Editora Saída de Emergência por enviar os livros sem cobrar portes o que nos dias de hoje é uma grande ajuda e uma raridade.
Esperemos então que também se revele uma boa compra e me faça olhar para os autores portugueses de outra forma.

O Símbolo Perdido – Dan Brown [Opinião]


.



O Símbolo Perdido
de Dan Brown
Aquilo que se perdeu será encontrado…

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 571
Editor: Bertrand Editora
ISBN: 9789722520140




Ponto de Vista: Para começar, quero dizer que sou fã do Dan Brown, por isso acho que nunca vou conseguir “dizer mal” de nenhum livro dele.
Pelo que tenho visto por aí em vários blogs, as opiniões em relação a este livro são diversas, mas acho que se fizesse uma estatística talvez as negativas fossem em maior número… =(

Bom, para mim O símbolo perdido não é o melhor livro de Dan Brown porque Anjos e Demónios está no topo, mas talvez receba o segundo lugar juntamente com O Código Da Vinci.

Relativamente à história, esta passa-se em Washington e, apesar de parecer que tudo decorre em câmara lenta e que demora muito mais do que as 12 horas, já que são muitas as situações em que Langdon se vê envolvido em tão pouco tempo. Tudo se centra na Maçonaria e uma pontinha de Noética, e isso é um assunto que, por norma, nos desperta alguma curiosidade (pelo menos a mim), e a visão que nos é dada é que a Maçonaria não é algo prejudicial à sociedade, e sim um circulo restrito de pessoas que partilham ideais e acessibilidades que não estão à mão da maioria de nós, assim como as questões que levanta a noética que acabam por ser bastante pertinentes.

O que eu acho é que, por vezes, a informação é muito condensada e isso para o leitor torna-se cansativo porque é necessário um grande esforço para compreender a mensagem, assim como algumas partes que são um pouco ficcionadas e que nos fazem dispersar de alguma forma. Mas para mim, acho que é um bom livro que recomendo a todos aqueles que gostam do género de Dan Brown e dos temas em causa, porque seja para adaptar ou não a filme, penso que é uma história que prima por ideais e questões que nos fazem pensar naquilo que nos rodeia e na nossa capacidade psíquica.

Maddie: a Verdade da Mentira – Gonçalo Amaral [Opinião]


.

MADDIE
A Verdade da Mentira

de Gonçalo Amaral

Edição/reimpressão: 2008
Páginas: 224
Editor: Editora Guerra & Paz
ISBN: 9789898174123
Colecção: Verdade e Consequência

SinopseEste não é mais um livro sobre a investigação do desaparecimento de Madeleine McCann. Este é o livro do investigador principal do processo, que foi atacado e vilipendiado quando se encontrava apenas em busca da verdade e da justiça. Ninguém, à excepção dos pais de Maddie, sabe tão bem o que se passou naquela noite fatídica de 3 de Maio de 2007. Gonçalo Amaral escreve na perspectiva da investigação por si conduzida e tem uma forte preocupação factual e de objectividade. Além disso, o livro contém revelações originais e esclarece muitos dos mais controversos aspectos do caso. O texto está apoiado por infogramas e fotografias que facilitam a compreensão do leitor e ilustram os passos da investigação e da conclusão obtida - por mais terrível que a mesma seja: Maddie está morta desde o dia do seu desaparecimento.
Para o autor do livro, Madeleine Beth McCann é a principal preocupação - é ela a vítima, e são as vítimas que têm de ser defendidas pela polícia e perseguidos os culpados do seu sofrimento. Tendo-lhe sido impossibilitado solucionar o caso, devido ao seu afastamento, quando se encontrava eminente a recolha de testemunhos vitais, preferiu abandonar a vida policial activa e retomar a liberdade de expressão não só para lavar a honra das calúnias que sobre si foram lançadas, mas para ajudar a que o caso não caia no esquecimento e a que, mais tarde ou mais cedo, o processo seja reaberto e feita justiça.



Ponto de Vista: O dia certo em que comecei a ler este livro não sei, mas foi em consequência da entrevista de Gonçalo Amaral no programa Sinais de Fogo conduzido por Miguel Sousa Tavares, que me irritou profundamente e que me fez tomar uma decisão…

Pensei em não ler este livro, até porque preferia ficar na ignorância e não tomar partidos por ser uma criança de outra nacionalidade, ideia contrária há que tive em relação à Joana. E a minha mãe, por saber que estas questões policiais mexem comigo, andava sempre a dizer “eu vou comprar o livro”, e eu dizia para não comprar porque depois a curiosidade roía-me e acabava por o ler. Bom, foi mais ou menos assim…
Curioso a data em que terminei do o ler (4 Maio 2010), após várias pausas, parece que esta seria então a altura certa…

Há muita coisa no meu país que não funciona bem, tenho plena consciência disso, e a tendência é piorar, infelizmente. Mas apesar disso, existe uma instituição em quem ainda nutro confiança, talvez também isso esteja para mudar em breve, já que as pessoas credíveis que fazem jus à sua profissão estão a ser afastadas, ou por motivos pessoais, doença, idade ou outros, mas por enquanto ainda quero pensar que há quem seja recto e incorruptível, e que irá levar a verdade em frente independentemente das consequências. Sem margem para dúvidas, claro que falo na Polícia Judiciária e em todo o seu grandioso trabalho que tem sido feito ao longo de muitos anos.
Pessoas como Gonçalo Amaral ou Paulo Cristóvão tornaram-se conhecidos pelos piores motivos, porque até então eram pessoas anónimas como eu que desempenhavam o seu trabalho com a maior descrição e rigor sem necessidade de ribalta porque, penso, essa é uma das características principais de um bom Inspector – saber manter o seu anonimato, mas pelos casos mediáticos em que estiveram envolvidos passaram a ser o “actor principal” de um mau filme.

Este livro apenas fez com que a minha opinião se mantivesse intacta e sem um “belisco”, sei que há várias opiniões e respeito isso porque todos nós temos direito a ela, e daí não significa que a nossa seja a verdade absoluta, apenas acho que temos de ser realistas e encarar os factos que não são alteráveis, ou seja, os pais que deixam os filhos sozinhos em casa sabem que correm riscos e a responsabilidade por esses riscos é deles e de mais ninguém, no caso dos McCann a responsabilidade era a dobrar por deixar os filhos numa casa que nem sequer era a sua a muitos kms do seu país, portanto digam o que disserem, há uma coisa que têm de admitir foram negligentes, o que veio em consequência disso não sei, e prefiro não tecer mais comentários, mas também acredito no Eddie e na Keela por serem demasiado leais e verdadeiros, se o trabalho deles não tivesse valor nem sequer existiam, assim sendo, meias palavras bastam. Só quero acrescentar que há muitos pais em sofrimento por não saberem dos seus filhos e não tiveram direito a fundos, muito menos a visitas ao Papa, ou a um interesse especial por parte de um primeiro-ministro, simplesmente choram as suas lágrimas em silêncio sem que ninguém saiba da dor que os trespassa por cada minuto que passa pelo desespero de não saberem o que fazer ou a quem recorrer para encontrarem aquilo que mais procuram, porque há pessoas demasiado ocupadas para determinados assuntos…

Não concordo em terem retirado o livro de circulação porque mais uma vez se põe em causa a opinião, eu tenho a minha em relação a este assunto, li o livro e mantive-a, e agora também eu estou a deixar um comentário aqui sobre o mesmo, acho que esse é um direito que é nosso e não nos pode ser tirado só porque damos a nossa opinião.
Se assim for, que direito tem Luís Militão Guerreiro de escrever um livro sobre uma barbaridade que cometeu e ainda vir a lucrar com isso?!...
Agora só depende de nós, comprar ou não determinado livro e deixarmo-nos influenciar por ele ou não.

Posso sempre aconselhar a leitura de “Maddie: a verdade da mentira”, apesar de noutro formato, mas mais uma vez, acho que essa necessidade parte de cada um de nós, seja este ou outro livro. Mas em relação a este, posso garantir que da minha perspectiva é um livro com uma escrita simples e com poucos rodeios, essencialmente descritivo, que em determinados momentos emociona, que coloca questões relativas à nossa natureza e à visão que se tem daquilo que significamos no mundo…

Em estrelas: 4{

Compras do mês de Abril...


.


Refúgio
de Nora Roberts

Chancela: Chá das Cinco / 2010
ISBN: 9789898032775
Formato: Capa mole
Dimensões: 16 x 23
Núm. páginas: 400
Géneros: Literatura Romântica



Bom, depois de muita pesquisa e muitas dúvidas em relação a um livro para oferecer sempre me decidi pela 1ª hipótese – Refúgio de Nora Roberts.
Agora espero que não desiluda, porque como nunca li nada da Nora Roberts, para mim é sempre uma incógnita, só espero que seja uma autora para voltar a repetir.
Para além do livro, que como se diz são presentes sempre bem-vindos (pelo menos para mim) e podem ser dados em qualquer ocasião, ainda ofereci um marcador personalizado feito por mim porque acho que um marcador tem sempre significado, e este acredito que foi de encontro ao gosto.
Parabéns Prima, espero que venha mais um e que venham mais livros e marcadores e comentários teus por aqui porque este blog é para durar mais que uns meses!





O Livreiro de Cabul
de Asne Seierstad

Editor: Editorial Presença
Edição/reimpressão: 2003
ISBN: 9789722331180
Páginas: 242
Colecção: Grandes Narrativas



Outra compra que fiz, mas neste caso para mim, foi o Livreiro de Cabul de Asne Seierstad.
Aproveitei uma das muitas (e bem-vindas) promoções que a Editorial Presença fez por altura da Feira do Livro. Já andava para comprar este livro há algum tempo, mas havia sempre um motivo para ir adiando a compra, e desta vez não deixei passar!...
Agora não sei é quando vou ter disponibilidade para o ler?!…

Cordão Humano de Leitura...


.



A Feira do Livro de Lisboa, que este ano decorre de 29 de Abril a 16 de Maio, merece sempre ser destacada pelo incentivo que faz ao nosso enriquecimento pessoal. Pois, aqui podemos encontrar todos aqueles livros que estão nas nossas listas de desejos há espera de uma promoção, um passatempo, qualquer coisa que nos possibilite adquiri-los sem custos demasiado elevados.

Mas para além desta oportunidade, existem muitas outras, e uma em particular, que me despertou especial atenção, ou seja, no dia 8 de Maio, os organizadores querem formar um grande cordão humano de leitura, para comemorar os 80 anos da Feira do Livro. A ideia é juntar o maior número de pessoas, com idade entre 80 dias e 80 anos, todas com um livro na mão. Durante a formação do cordão, as pessoas podem trocar livros, ler em voz alta, enfim, declarar o seu amor pelos livros e pela leitura.

Eu gostaria imenso de estar presente, mas como não vai ser possível, espero que ao menos todos os outros que gostam tanto de livros como eu possam estar de mãos dadas com o livro e fazer desta iniciativa um momento único!...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ouvindo...

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.5 Generic License